Gravidez exige atenção especial às gengivas

A gestação é uma fase de transformações no corpo da mulher, e os dentes e gengivas não são exceção. Além de terem os sintomas acentuados durante a gravidez, doenças bucais representam um risco maior para as gestantes. O primeiro motivo é óbvio: da saúde da mãe, depende o desenvolvimento do bebê.

“Gestantes não podem se alimentar mal por conta de dor ou ansiedade gerada por qualquer problema dentário”, pondera Gardel Costa, Mestre e Especialista em Implantodontia e Especialista em Ortodontia. Mas há um fator ainda mais contundente: inflamações nas gengivas podem colocar em risco a vida da gestante e do feto.

Agravamento de sintomas serve como alerta

Embora não prejudique a saúde bucal, a gestação tende a exacerbar sintomas das doenças periodontais, que afetam a gengiva e os tecidos de suporte dos dentes. “As alterações hormonais levam à dilatação dos vasos sanguíneos e provocam uma resposta mais exagerada do organismo da mulher”, explica o Dr. Gardel Costa. Uma grávida com gengivite pode sofrer com sintomas mais acentuados. “Aumentam o sangramento e o edema no local, pode haver mais dor localizada”, afirma.

Essa exacerbação dos sinais de doença serve como um valioso alerta ao qual a grávida deve estar atenta. “Estudos têm identificado que proteínas envolvidas nesses processos inflamatórios, em níveis elevados, poderiam desencadear complicações obstétricas como a pré-eclampsia, uma situação grave, que pode levar à morte materna e fetal”, adverte. Caso a mulher engravide sem saber que tem problemas periodontais, o agravamento dos sinais da doença pode ser ponto de partida para a busca por atenção especializada.

Sem restrições para tratamento

Mulheres grávidas ou que planejam ter filhos a prestar atenção à saúde bucal e procurar o dentista para a detecção de qualquer problema. “Pelo Manual de Assistência ao Pré-Natal do Ministério da Saúde, cabe ao médico responsável pelo acompanhamento da gestante encaminhá-la ao cirurgião-dentista como parte do pré-natal”, ressalta.

A diretriz raramente é seguida à risca – daí a importância de a gestante buscar atenção odontológica. “Se o dentista diagnosticar problemas nas gengivas e nas estruturas de suporte do dente, indicará tratamentos específicos, que reduzem o risco de complicações”, explica. “Há medicações que podem ser utilizadas em qualquer trimestre de gestação”.

Por fim, toda gestante deve manter os cuidados básicos de higiene bucal: utilização de escova macia, creme dental fluoretado e fio dental. Os únicos produtos de uso comum contraindicados são os bochechos. “Muitos bochechos contêm substâncias quimioterápicas que, a princípio, a grávida não deve usar, a não ser que haja orientação do dentista”, esclarece a médica.

+ Informações